Quase metade da população mundial tem menos de 30 anos. No entanto, eles representam apenas 2,6% dos parlamentares em todo o mundo**. A idade média de um líder mundial é atualmente de 62 anos***. De todos os parlamentos do mundo, 37% não têm nem um representante do Parlamento com menos de 30 anos** e menos de 1% desses jovens parlamentares são mulheres.
 

Os jovens têm o direito de serem incluídos nas decisões políticas que os afetam, no entanto, inúmeras barreiras impedem essa participação. A The Body Shop e a representante do Secretário-Geral das Nações Unidas para a Juventude, Jayathma Wickramanayake, estão colaborando para mudar esse cenário por meio da campanha global “Be Seen. Be Heard” para amplificar as vozes dos jovens na vida pública.
 

A campanha procura criar mudanças estruturais de longo prazo para que a tomada de decisões seja mais inclusiva para os jovens. Junto com a campanha, hoje será divulgado o relatório “Be seen, Be Heard: Entendendo a participação política dos jovens”. O relatório é uma fotografia de um momento crítico para entender preconceitos e barreiras estruturais que impedem os jovens de participar da vida pública, juntamente com recomendações para enfrentar esses desafios em benefício das sociedades em todo o mundo. Inclui resultados da maior pesquisa já realizada pela The Body Shop em dezembro de 2021, cobrindo 26 países com 27.043 entrevistados no total, mais da metade dos quais tinham menos de 30 anos.
 

A pesquisa descobriu que 82% das pessoas participantes concordam que os sistemas políticos precisam de reformas drásticas para se adequarem ao futuro. Em geral, 84% das pessoas descreveram os políticos com foco em “interesses próprios” e 75% das pessoas acham que os políticos são corruptos. Três quartos das pessoas com menos de 30 anos acham que políticos e líderes empresariais “estragaram as coisas” para as pessoas e o planeta. 
 

É preciso passar do desconforto para a ação, atraindo aos jovens a participar da vida pública. Nossa pesquisa apontou que pessoas com menos de 30 anos no Brasil, são mais ativas do que a média global de jovens em compartilhar suas opiniões com as redes pessoais, tanto nas redes sociais quanto no debate familiar. No entanto, é menos provável que tenham atuado publicamente, falando em fóruns públicos, boicotando marcas ou sendo um membro ativo da comunidade, instituições de caridade ou grupos políticos sobre as causas pelas quais são apaixonados.
 

A maioria, duas em cada três pessoas, também concorda que o equilíbrio de gerações na política está errado, com 8 em cada 10 pessoas de todas as idades acreditando que a idade ideal para votar (a idade em que alguém pode votar pela primeira vez) é de 16 a 18 anos. Apesar disso, na maioria dos países ao redor do mundo, a idade de voto é de 18 anos ou mais. Um terço dos entrevistados com menos de 30 anos consideraria concorrer a um cargo, contra apenas um quinto daqueles com mais de 30 anos. Pessoas de todas as faixas etárias concordam que mais oportunidades para os mais jovens terem voz no desenvolvimento e/ou mudança de políticas tornariam os sistemas políticos melhores, isso é coerente com o maior interesse da população mais jovem em se envolver no seu papel na democracia, incluso no Brasil, onde a pesquisa identificou que 30% das pessoas de 15 a 17 anos considerariam concorrer a um cargo político.
 

David Boynton, CEO da The Body Shop, diz: “nossa posição é clara. Os problemas do mundo não podem ser resolvidos pelas mesmas pessoas fazendo as mesmas escolhas. Nossa pesquisa indica que a maioria dos jovens é positiva em relação ao futuro, e precisamos ouvir seus pontos de vista e ideias dentro dos espaços de poder. Usaremos nosso alcance global para estimular a conscientização e o apoio, como fizemos no passado. Desde que Anita Roddick fundou a The Body Shop, em 1976, fazemos campanhas sobre questões de justiça social e ambiental, porque acreditamos que as empresas globais têm responsabilidade com as comunidades nas quais operam. Ao longo de nossa história de campanha, a The Body Shop criou mudanças diretas por meio de novas ações legislativas ou mudanças de políticas em mais de 24 países desde 1990”. 
 

De acordo com Jayathma Wickramanayake, representante do Secretário-Geral das Nações Unidas: “a lacuna entre gerações no poder, influência e confiança constitui um dos maiores desafios do nosso tempo. Como os jovens deixaram bem claro por meio de seu ativismo nas ruas, na sociedade civil e nas mídias sociais, eles se preocupam profundamente com a mudança transformacional necessária para criar sociedades mais igualitárias, justas e sustentáveis. A participação é um direito, e a falta de representação juvenil onde as decisões são tomadas contribui para uma crescente desconfiança em relação às instituições políticas e um sentimento de alienação dos líderes eleitos, causado por políticas que não refletem as prioridades da juventude, espelham suas preocupações ou falam sua língua. Esta campanha é uma oportunidade para mudar isso”.
 

“Espelhando a realidade do mundo, no Brasil quase metade da população tem menos de 30 anos, 42,3% segundo a última pesquisa do IBGE em 2019, acreditamos que cada vez mais é preciso que essa população se engaje com os temas com que deverá lidar no futuro de curto prazo, como as mudanças climáticas, a inequidade, e a falta de garantia dos direitos humanos para boa parte da população, especialmente a mais vulnerável, como mulheres e meninas. É por isso que nos envolvemos na promoção do engajamento desses jovens na vida pública, começando pelo apoio ao mutirão do título eleitor, incentivando jovens em nossa loja do Pátio Paulista a fazer esse cadastro”, menciona Karina Meyer, Diretora de Marketing da The Body Shop para América Latina. “No Brasil, onde nossos jovens entre 16 e 17 anos estão facultados para votar, começamos a conferir um crescente interesse em exercer essa participação, ao fechar o cadastro eleitoral com 2 milhões de eleitores novos entre 16 e 18 anos, 47,2% a mais em relação às eleições de 2018, segundo informado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).”, complementa a executiva. 
 

Olhando para o futuro, a pesquisa identificou que as pessoas no Brasil têm uma postura mais positiva com relação a educação, apresentando maiores preocupações com as mudanças climáticas e a saúde mental, ao mesmo tempo que apurou que o principal gatilho para se envolver na política para as pessoas no Brasil é a possibilidade de fazer mudanças significativas. A trajetória ativista da The Body Shop demostra a crença em que os negócios são também um veículo para mobilizar essas mudanças, por tanto a campanha pretende motivar a esse 31% de pessoas de menos de 30 anos que no Brasil ficariam mais estimulados a se envolver em assuntos públicos se tivessem maior acesso a informações e inspirar esse 25% que precisa acreditar em que as mudanças são possíveis para se envolver na vida pública. 
 

The Body Shop e a Secretaria-Geral das Nações Unidas para a Juventude pressionam por mudanças transformacionais
 

O relatório apoia o fato de que há uma falta crônica de fé nos sistemas políticos, mas um claro apetite por mais representação de jovens de todas as faixas etárias. Aprendizados como esses informarão as ações de campanha de base em todo o mundo. Essas ações, descritas no relatório, incluem uma ampla gama de mudanças estruturais nos sistemas políticos. Entre outras ações, a participação dos jovens na tomada de decisões públicas pode ser melhorada a longo prazo, com:

  • redução da idade de votação;
  • aumento da representação formal dos jovens por meio de conselhos, parlamentos ou comitês de jovens;
  • remoção das barreiras para que os jovens participem da tomada de decisões públicas;
  • simplificação do registro para eleitores de primeira viagem;
  • aumento do engajamento dos jovens com a política e a votar de forma consciente
  • melhora das habilidades de liderança dos jovens.

Campanha em 2.600 lojas, em mais de 75 países, em seis continentes


A colaboração entre a The Body Shop e a Secretaria Geral das Nações Unidas para a Juventude significará que os jovens e outras partes interessadas poderão se envolver com a campanha por muitas vias. As ativações de campanhas locais incluirão parcerias com organizações não governamentais (ONGs) específicas lideradas ou focadas em jovens e/ou oportunidades de apoio por meio de petições e outras ativações. A campanha global começa agora em maio e tem previsão para durar até meados de 2025.


No Brasil, a nova loja inaugurada na Av. Paulista, no Shopping Pátio Paulista, no último dia 28 de abril, promoveu um aquecimento da campanha. Entre os dias 2 e 4 de maio, uma promotora ficou à disposição dos clientes da nova unidade, munida de um tablet, para que ali mesmo pudessem regularizar a situação eleitoral. 


Confira o site da campanha para mais informações.
 

*A Pesquisa Global de Jovens “Be Seen, Be Heard” foi realizada em dezembro de 2021 pela Dynata.
 

Esta pesquisa qualitativa e quantitativa em larga escala entrevistou 27.043 pessoas em várias faixas etárias, incluindo 14.160 entre 15 e 30 anos, em 26 países. No Brasil foram entrevistadas 1.003 pessoas, 502 com menos de 30 anos, e 501 com 30 anos ou mais. Para garantir altos níveis de confiança e representatividade dos resultados, as amostras dos participantes incluíram cotas de idade, sexo, região e renda. A pesquisa também garantiu uma boa disseminação da geografia global, com 59% da população mundial coberta na amostra.
 

** Dados de participação de jovens em parlamentos.

*** Conjunto de dados REIGN  

Sobre a The Body Shop

Como uma empresa B Corp, a The Body Shop está comprometida com metas sociais e ambientais ambiciosas. A The Body Shop investe fortemente em ativismo e possui uma equipe dedicada ao tema, focada em pesquisas e táticas, operando em todo o mundo. Muito antes de o ativismo ser um chavão da indústria, a The Body Shop pressionou por mudanças onde outras marcas viam riscos. A marca já mobilizou seu coletivo global e fez campanha por mais de 20 anos em questões como os direitos dos povos indígenas, direitos dos animais, tráfico sexual e a queima da floresta amazônica.

Sobre o Escritório do Enviado do Secretário-Geral das Nações Unidas para a Juventude

Em 2017, o secretário-geral da ONU nomeou Jayathma Wickramanayake, do Sri Lanka, como seu enviado especial para a juventude e como o funcionário sênior mais jovem da história da organização.
 

O mandato do Enviado para a Juventude é harmonizar os esforços do sistema das Nações Unidas para o desenvolvimento da juventude, melhorar a resposta da ONU às necessidades da juventude, defender as necessidades de desenvolvimento e os direitos dos jovens, bem como aproximar o trabalho das Nações Unidas sobre a juventude eles. O Enviado para a Juventude também atua como consultor e representante do Secretário-Geral em assuntos relacionados à juventude.
 

Para mais informações, siga @UNYouthEnvoy nas mídias sociais e visite nosso site.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.