Semana Hermilo segue em cartaz até domingo (22)

Com peças, leituras dramatizadas, exposição e apresentação de mamulengo, programação, oferecida pela Prefeitura do Recife, em parceria com Governo do Estado e Editora Cepe, é gratuita e aberta ao público

A literatura fantástica de Hermilo Borba Filho está em cartaz no Recife. Até domingo, a Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Cultura e Fundação de Cultura Cidade do Recife, celebra um dos maiores nomes já revelados pela literatura e pelo teatro nordestinos, com uma programação gratuita, oferecida no Teatro Hermilo Borba Filho, no Recife Antigo, que oferece espetáculos, leituras dramatizadas, discussões e uma exposição de fotos e diversos materiais de trabalho do Teatro Popular do Nordeste (TPN), companhia criada por Hermilo, que fez história no teatro brasileiro, reunindo nomes como Capiba, Ariano Suassuna, Gastão de Holanda, José de Moraes Pinho, entre outros.

A programação é uma realização do Centro de Formação e Pesquisa em Artes Cênicas Apolo-Hermilo, equipamento cultural da Prefeitura do Recife, em parceria com a Secretaria de Cultura de Pernambuco e a Companhia Editora de Pernambuco (Cepe).

Na noite de hoje (20), a Semana Hermilo segue com a oficina de Mamulengo do Mestre Zé Lopes durante todo o dia e apresentação gratuita da peça Sapatos e Vestidos, à noite. Às 19h, haverá ainda uma leitura de crônicas de Hermilo pelo ator Flávio Renovatto.

Amanhã (21), terceiro dia de atividades da Semana, será realizada, também no Teatro Hermilo, a partir das 19h30, a leitura dramatizada inédita do conto Lindalva, de autoria do profícuo Hermilo, protagonizada por Flávio Renovatto, Ivo Barreto e Dani Travassos, com direção de Eron Villar e produção do Centro Apolo-Hermilo. Após o espetáculo, o professor Marcondes Lima conversará com o público.

Derradeiro dia de programação da Semana Hermilo, o domingo (22) começa com a apresentação da produção da oficina do Mestre Zé Lopes, às 16h, seguida da leitura de crônicas de Hermilo pelo ator Flávio Renovatto, às 19h. Às 19h30, será apresentado o espetáculo A Festa de São Sacode na Fazenda do Coronel Pacaru, do Mamulengos Teatro Riso, com o mestre e patrimônio vivo de Pernambuco, José Lopes, numa grande celebração às tradições populares, que sempre foram tão caras a Hermilo, um dos mais nordestinos nomes da literatura do mundo. Em seguida, haverá fala de Carlos Carvalho, diretor do Centro Apolo-Hermilo e da secretária de Cultura do Recife, Leda Alves.

Estreia – Na noite de ontem, a programação da Semana Hermilo foi aberta pelo Cavalo Marinho de Dinda Salu, representando os saberes e fazeres culturais ancestrais e populares, pelos quais Hermilo nutria profundo respeito e admiração. “Salu era uma árvore boa. Dos filhos, quem não toca, dança. Quem não dança, canta. Quem não canta borda”, disse a secretária Leda Alves, abrindo a noite de celebrações à cultura do Nordeste e a um de seus maiores defensores. “É disso que trata a obra de Hermilo: da arte e do povo que somos.”

A noite seguiu com o lançamento do livro TPN – Palco e Mundo de Hermilo Borba Filho, escrito por Luis Reis e editado pela Cepe. “Num panaroma tão difícil, em tempos tão estranhos, é muito importante lembrarmos a obra de Hermilo, um homem corajoso, que olhou para o outro e para o Nordeste, seu povo, sua realidade e sua fantasia, com generosidade, respeito e honestidade”, disse o escritor.

Também foi aberta na noite de ontem a exposição TPN – O Espetáculo Deve Continuar, montada por Betânia Araújo, diretora do Museu da Cidade, com acervo selecionado pelo professor Luis Reis, e cedido por Leda Alves, secretária de Cultura do Recife, viúva de Hermilo e zelosa guardiã de seu legado. A mostra, que ficará em cartaz por um ano, no Teatro Hermilo, conta com croquis dos figurinos criados para as peças do grupo, programas originais dos espetáculos, além de diversas fotografias de montagens do TPN, que funcionou entre 1960 e 1975, sob a liderança de Hermilo, tendo sido, segundo Luís Reis, uma das mais importantes realizações da modernidade teatral em Pernambuco.

“Clássicos da dramaturgia universal, como Sófocles, Lope de Veja ou Gógol, ao lado de autores brasileiros, como Ariano Suassuna, Dias Gomes ou Osman Lins, subiam ao palco do TPN, iluminados pela sabedoria cênica que Hermilo vislumbrava nos espetáculos populares do Nordeste. Tal abordagem, tensionada entre a sofisticação da literatura dramática e a espontaneidade da brincadeira popular, evidenciava a aspiração – tão moderna – por uma encenação nova, original; por uma maneira genuinamente brasileira de se expressar em cena”, diz Reis, no banner de abertura da mostra.

A noite seguiu com a apresentação do espetáculo Sapatos e Vestidos, adaptação de Carlos Carvalho ao conto homônimo de Hermilo, montado pelo Coletivo Construtores de Histórias e Produções Paralelas. E encerrou com uma fala do professor Anco Márcio Tenório Vieira sobre a obra do dramaturgo e autor que Palmares revelou ao mundo. “Foi espantosa a produção de Hermilo. E segue sendo. Ele é um autor que ainda respira, porque é muito atual. Merece ser lido, montado, ouvido.”

A primeira noite da Semana Hermilo foi de casa cheia. “Hermilo é uma referência no teatro popular. Não tinha como não prestigiar o evento. É importante conhecer, preservar e transformar sua história e sua obra”, disse a atriz Beta Ferralc. “A obra de Hermilo é para ser celebrada, comungada, reinventada”, concordou o professor, filófoso, poeta, cineasta, escritor e agitador cultural Jormard Muniz de Britto.

“Pelo diálogo que ele conseguiu estabelecer com tradições até mais antigas no Nordeste que o próprio teatro, como o teatro de bonecos, faço questão de celebrar a obra de Hermilo”, disse Ana Rocha, da Associação Pernambucana do Teatro de Bonecos.

Sobre Hermilo – Um dos homens de teatro mais atuantes e inventivos do Nordeste, Hermilo Borba Filho, nascido no Engenho Verde, da cidade de Palmares, em 1917, tinha enorme e declarado apreço pela cultura e pelas tradições nordestinas. Autor, encenador, professor, crítico e ensaísta, foi diretor artístico do Teatro do Estudante de Pernambuco e fundador do Teatro Popular do Nordeste, além de ter deixado uma profícua produção literária, de Palmares para sempre.

Confira a programação dos próximos dias de atividades:

16ª SEMANA HERMILO

De 19 a 22 de julho, no Teatro Hermilo Borba Filho

 Dia 20 (Sexta-feira)

9h às 16h – Oficina de Mamulengo do Mestre Zé Lopes

19h – Leitura de crônicas de Hermilo pelo ator Flávio Renovatto

20h – Encenação do espetáculo Sapatos e Vestidos

Dia 21 (Sábado)

9h às 16h – Oficina de Mamulengo do Mestre Zé Lopes

19h – Leitura de crônicas de Hermilo pelo ator Flávio Renovatto

19h30 – LiteraturaXDramatização: Lindalva

Dia 22 (Domingo)

16h – Apresentação da produção da Oficina de Mamulengo do Mestre Zé Lopes

19h – Leitura de crônicas de Hermilo pelo ator Flávio Renovatto

19h30 – Espetáculo A Festa de São Sacode na Fazenda do Coronel Pacaru, do Mamulengos Teatro Riso

You May Also Like