Sarampo volta a ter casos confirmados em PE

Entenda os sintomas e para quem não é indicada a vacinação contra a doença

O país está atento à volta do sarampo, uma doença infecciosa, transmissível e extremamente contagiosa, que não aparecia com força há um tempo. A transmissão pode ocorrer por meio de secreções respiratórias, de pessoa para pessoa. Entre quatro a seis dias após a contaminação, começam a aparecer o exantema, manchas avermelhadas na pele.  A única maneira de combater a enfermidade é através da vacinação, mas há alguns casos em que as pessoas devem ficar mais atentas de como devem proceder, como é o caso das pessoas com câncer, por exemplo.

Para quem está passando por um tratamento oncológico, o indicado é procurar por orientação do seu médico. “A vacina do sarampo é do tipo vírus atenuada e não é muito indicada para quem está fazendo tratamentos que comprometem o sistema imune, como a quimioterapia. Mas o ideal é que o paciente procure pela avaliação do médico que está lhe acompanhando”, comenta Dr. Felipe Marinho, oncologista da Multihemo, unidade do Grupo Oncoclínicas em Recife.

A diferença entre uma vacina atenuada e inativa é que na primeira o vírus está vivo, mas sem capacidade de produzir a doença. Quem deve se vacinar são crianças acima de 2 anos e adultos até os 29 anos, que não foram vacinados anteriormente ou não se lembram, com duas doses da tríplice viral,com intervalo de 30 dias. Já para adultos que têm entre 30 e 49 anos, com a mesma condição de já terem sido imunizados ou não se lembram, a dose é única.

Os sintomas mais comuns são irritação nos olhos, manchas brancas na parte interna da bochecha e mal estar, tosse persistente, manchas vermelhas na pele, perda de apetite, infecção nos ouvidos, conjuntivite, diarreia, febre e convulsões. Tendo a suspeita da doença o indicado é procurar por orientação médica. Em Pernambuco, neste ano já foram notificados 132 casos, sendo 73 descartados e 2 confirmados. Os outros estão em investigação. A última vez que o estado teve registro da doença foi em 2014 com 27 casos.  Para quem deseja se prevenir, as vacinas são disponibilizadas nos postos de saúde em todos os municípios do estado.