Romero Ferro apresenta show especial no Réveillon de Boa Viagem

O show do cantor é um dos destaques do palco em frente ao Acaiaca e terá a participação de um intérprete de LIBRAS.

Mais feliz, impossível. É assim que o cantor Romero Ferro encerra o ano de 2017. O pernambucano será uma das atrações do Revéillon da Praia de Boa Viagem, cantando em frente ao edifício Acaiaca. Na apresentação, vai mostrar os seus maiores trunfos: o projeto “Frevália”, que movimentou o Paço do Frevo ao longo do ano, e os hits do disco “Arsênico”, que concorreu ao Prêmio da Música Brasileira 2017 e que o levou a vitrines importantes, como o festival Coquetel Molotov.

Foi a indicação ao Prêmio da Música Brasileira que fortaleceu o trabalho de Romero nacionalmente. Por conta disso, participou de atrações como “Sem Censura” e “Encontro com Fátima Bernardes”, além de um bate-papo com Leda Nagle (em seu canal no YouTube) e com o jornalista Carlos Albuquerque, o Calbuque, na rádio Roquete Pinto. Ao longo de 2017, o cantor também recebeu nomes como Lia Sophia, Matheus VK, Thaís Gulin, Silvério Pessoa, Michelle Mello, Priscila Senna, Isaar, Nena Queiroga, Nathália Bellar e Barro, entre muitos outros artistas, no palco do “Frevália”. “Termino o ano cheio de amor. Foi tudo muito especial”, afirma o cantor.

O show no Acaiaca é a coroação desse grande momento. “Tenho certeza de que as pessoas vão curtir bastante a virada de ano ao meu lado. Vai ter muito frevo, pois o frevo me representa”, diz o artista, que se prepara pra lançar seu novo single e clipe logo depois do carnaval. Romero remonta sua identidade sonora se dedicando a conectar os synths da new wave oitentista às melodias ultra-apaixonadas dos boleros e bregas eletrônicos. Tem mais: o projeto “Frevália” será atração de grandes bailes de carnaval e ocupará vários polos da cidade, no dias de folia. “Preparem as sombrinhas”, avisa, acrescentando que o vitorioso projeto vai virar CD com várias participações!

Já “Arsênico”, lançado no final de 2016, foi o disco que lhe abriu as portas do sucesso. Gravado no Recife, no Fábrica Estúdios, teve produção do expert Diogo Strausz (carioca responsável pelos últimos discos de Alice Caymmi, Castelo Branco e Chay Suede). Além de ser mostrado em cidades pernambucanas como Recife, Olinda, Garanhuns, Bom Conselho e Limoeiro, o show do disco passou por Maceió/AL, Natal/RN, João Pessoa/PB, Rio de Janeiro/RJ e São Paulo/SP. O álbum conquistou excelentes críticas de jornalistas como Mauro Ferreira (G1/RJ), Juarez Fonseca (Zero Hora/RS), André Felipe de Medeiros (Monkeybuzz/MTV/SP), Artur Barros (Collectors Room/SC), Danieli Souza (Folha de Londrina/Jornal do Paraná), Lucas Simões (Jornal O Tempo/BH) e Sandra Bittencourt (CBN/PE).

Para quem ainda não viu Romero ao vivo, é bom se preparar: além da forte presença de palco, o show traz roteiro do jornalista Cleodon Coelho, que já assinou programas como “Som Brasil” e “Estação Globo”, apresentado por Ivete Sangalo. Nascido em Garanhuns, Romero começou sua carreira com o lançamento do EP autoral “Sangue e Som”, em outubro de 2013. Na época, o artista lançou três clipes no YouTube para divulgar o EP, que já somam hoje mais de 500 mil visualizações.

Após passagens bem-sucedidas pelo carnaval pernambucano e por festivais de música como o Mada (RN), Janeiro de Grandes Espetáculos (PE) e Móbile (PB), além do Coquetel Molotov, Romero foi destaque na capa do Segundo Caderno, no jornal carioca “O Globo”, saudado como um dos principais artistas responsáveis pela revitalização da música em Pernambuco. Tem mais: o clipe da música “Arsenal”, com mais de 10 mil visualizações na primeira semana de exibição no YouTube, foi premiado no FestCine 2015.

Para divulgar “Arsênico”, o músico lançou o clipe de “O Medo em Movimento”. O vídeo mostra Romero Ferro preso, ora com as mãos acorrentadas, ora vigiado por criaturas mascaradas. O roteiro foi do próprio músico em parceria com Carol Silveira, que também fez a direção criativa. A ideia é discutir questões políticas. O disco “Arsênico” conta com a participação de Amaro Freitas na coprodução e teclados, Patrick Laplan (ex-Los Hermanos) nas baterias, Guilherme Eira nas guitarras, Nego Henrique (ex-Cordel do Fogo Encantado) nas percussões, o trio de metais composto por Nilsinho Amarantes (trombone), Fabinho Costa (trompete) e Liudinho Souza (sax), e o coro das irmãs Sue e Surama Ramos.

A produção geral é de Maurício Spinelli e Jana Constantino, a assessoria da Rabixco Comunicação, figurinos de Carol Silveira, identidade visual de Caramurú Baumgartner, fotos de Lana Pinho e maquiagem de Monique Caires. O álbum é composto por 10 faixas inéditas e completamente autorais, que passeiam pelo soul, funk, rock, dance music, entre outras experimentações.

Pra ouvir o DISCO!

Spotify: http://migre.me/vpK20

Clipe Novo:

Projeto Frevália:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *