No quarto volume da série autobiográfica de Riad Sattouf, o jovem franco-sírio começa a crescer e compreender o complicado embate das culturas que vivencia
 

Riad Sattouf é um dos cartunistas e quadrinistas mais conhecidos e respeitados do mundo, com livros traduzidos para mais de vinte idiomas. O autor, que esteve no Brasil durante a Flip de 2015, recebeu pelo primeiro volume da série O árabe do futuro o Fauve d’Or, prêmio mais importante do festival francês de Angoulême — o maior evento de quadrinhos da Europa. A obra também foi listada como leitura obrigatória pelo The New York Times e chegou ao topo da lista de mais vendidos da França, assumindo o primeiro lugar que pertencia a nada menos que O capital no século XXI, de Thomas Piketty.

Nos três primeiros volumes da série O árabe do futuro acompanhamos Riad — de 1978 até 1987 — vivendo uma infância incomum, passada entre Líbia, França e Síria. O menino loirinho de nome sírio sempre se sentiu um estrangeiro onde quer que estivesse. É com um olhar inocente de criança que o quadrinista relata os primeiros anos de sua vida, cheia de contrastes entre a França socialista de Mitterand e os regimes autoritários na Líbia de Kadafi e na Síria de Hafez al-Assad.
 
No quarto volume, que chega ao Brasil pela Intrínseca em julho, acompanhamos Riad dos 9 aos 14 anos, fase em que ele começa a compreender a dinâmica complicada de sua família. É nesse momento de pré-adolescência que o jovem começa a enxergar com mais clareza os preconceitos dos parentes que residem na França e na Síria, o comportamento cada vez mais radical e insensato do pai e os intrincados conflitos no Oriente Médio dos anos 1990. Além disso, a chegada à adolescência traz outro embate explosivo: o amor.
 
Se nos livros anteriores os dilemas eram causados principalmente por fatores externos, agora Riad enfrenta também conflitos pessoais. Ele se torna alvo dos garotos populares na escola, que implicam com seu jeito de falar, com seu sobrenome árabe e até com seu novo corte de cabelo inspirado em Tom Cruise. A sorte é que nesse meio-tempo Riad também vai descobrir suas grandes paixões, como o desenho, o videogame e as garotas.
 
Uma das graphic novels mais importantes da atualidade, que já ultrapassou 2 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo e é comparada aos aclamados Maus e PersépolisO árabe do futuro é uma reflexão divertida e pungente sobre infância, globalização, política, cultura e o embate entre o Ocidente e o mundo árabe. Com cores vibrantes, traço único e uma narrativa ao mesmo tempo crítica e bem-humorada, o ex-colaborador do jornal Charlie Hebdo traça com maestria as vivências de uma juventude nada comum.

RIAD SATTOUF é um prestigiado quadrinista da nova geração francesa. Recebeu duas vezes o prêmio principal do Festival Internacional de Quadrinhos de Angoulême. Sattouf também atua como roteirista e diretor de cinema. Seu primeiro longa-metragem, Les Beaux gosses (2009), ganhou o César de melhor filme e foi indicado à Câmera de Ouro (Caméra d’Or) em Cannes. (Foto: Renaud Monfourny-Allary)

O ÁRABE DO FUTURO 4: UMA JUVENTUDE NO ORIENTE MÉDIO (1987-1992)

Tradução: Debora Fleck
Páginas: 288
Editora: Intrínseca
Livro impresso: R$ 69,90
E-BOOK: R$ 44,90

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *