H.Pylori é um dos problemas gastrointestinais que mais atingem os brasileiros

Estudos que detectam a presença da bactéria demostram que a prevalência da infecção aumenta com a idade e é maior nos países em desenvolvimento

Uma bactéria que surgiu há milhares de anos, continua infectando a população, principalmente nas periferias das cidades. A Helicobacter Pylori, conhecida popularmente por H. Pylori, é uma bactéria transmitida, em geral, por água e alimentos contaminados e causadora de problemas gástricos, entre eles, gastrite, úlceras gástricas/duodenais e o câncer de estômago. Já a gastrite induzida pelo H.pylori é uma das doenças mais comuns na espécie humana, comprometendo cerca de metade da população mundial.

Estudos que detectam a presença desta bactéria demostram que a prevalência da infecção aumenta com a idade e é maior nos países em desenvolvimento, como é o caso do Brasil. De acordo com a gastroenterologista da Clínica SiM, Dra. Aline Quental, o H.Pylori se aloja no estômago, onde prejudica a barreira protetora e estimula a inflamação. “Uma vez instalada no estômago, a bactéria pode provocar sintomas como dor e queimação na parte superior do abdômen, empachamento, náuseas/vômitos e outros sintomas, além de aumentar o risco para o desenvolvimento de úlceras e câncer gástrico”, explica.

“No Brasil, a forma mais comum de transmissão se dá através da via feco-oral , ou seja, quando água e alimentos entram em contato com dejetos humanos contaminados pela bactéria”, esclarece. Em casos de suspeita e surgimento dos sintomas, as formas mais comuns de identificar são através de uma biópsia do estômago ou por meio do teste da urease, que são métodos realizados através da endoscopia digestiva alta. Estes exames são os mais usados para a detecção da bactéria no nosso país.

Na hora de tratar, é aconselhável a associação de medicamentos (antibióticos e inibidores da bomba de prótons como omeprazol/lansoprazol/esomeprazol), prescritos por um gastroenterologista. Em paralelo, é importante adotar uma dieta sem irritantes gástricos para que não piore a inflamação e ajude a melhorar os sintomas. “Nesses casos deve-se evitar café, refrigerante, alimentos condimentados e frutas cítricas”, alerta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *