Horácio Forte, associado à Fundação Dom Cabral (FDC), ressalta que é importante ser austero com gastos e intolerante com desperdícios

Por conta da crise econômica agravada pelo coronavírus, gestores e executivos têm redobrado a atenção com cada passo dado dentro das organizações. Além da preservação de empregos e do corte de gastos não essenciais, as empresas buscam medidas que possam diminuir os riscos de prejuízo.

No último dia 3, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil tombou 4,1% em 2020. Foi a maior contração da atividade econômica desde 1996, quando teve início a série histórica atual do instituto. 

Para o economista Horácio Forte, os gestores precisam ser austeros com gastos e intolerantes com desperdícios. “É importante colocar tudo no papel e conversar. Uma regra clara é que o prazo de pagamento tem que ser maior do que o prazo de recebimento. Não se pode colocar os compromissos a pagar antes do calendário de entrada das receitas”, destacou ele, que é presidente da H. Forte Soluções Educacionais, associada à Fundação Dom Cabral (FDC) em Pernambuco e na Paraíba.

Ainda de acordo com Horácio, mais do que nunca, os gestores precisam ser estrategistas. “O negócio é atrair receita. Uma boa dica é fazer promoções e dar descontos para pagamentos à vista. Isso vai ajudar na entrada mais rápida de dinheiro”, complementou.

Aos empresários que, antes da crise do coronavírus, haviam iniciado uma expansão, o economista alerta que é preciso fazer uma análise aprofundada do caso, pois, dependendo do investimento, interromper o projeto pode sair mais caro. Para ele, neste momento, é necessário otimismo para já planejar o pós-crise. 

“É certo que, depois da tempestade, vem a bonança. O executivo de sucesso é aquele que enxerga além das paredes, além do horizonte. É claro que, quando tivermos um bom número de vacinados no país, a economia vai voltar a girar e teremos um boom decorrente da demanda reprimida. Logo, precisamos de empresas que estejam preparadas e saudáveis para atuar depois do fim da pandemia. A definição das estratégias precede a definição das estruturas”, concluiu.

Confira dicas práticas para manter o equilíbrio financeiro das empresas durante a pandemia, segundo o economista Horácio Forte:

  1. Pratique os cinco Ps: pare, pense, processe, pondere e proponha mudanças.
  2. Seja austero com gastos e intolerante com desperdícios.
  3. Renegocie e chame seus principais fornecedores para uma conversa.
  4. Foque na Lei de Pareto (ou Regra 80/20), que revela, entre outras coisas, que 80% dos seus custos estão em 20% das suas contas e que 80% da sua receita está em 20% dos seus clientes.
  5. Acredite em você mesmo. Tenha boa resistência às frustrações, seja persistente e perseverante.
  6. Entenda que o segredo do sucesso está em fazer do seu dever o seu prazer. 

Vasta experiência

Presidente da H. Forte Soluções Educacionais, o pernambucano Horácio Forte é economista e pós-graduado em Administração Financeira. Atuou durante anos como professor associado da Fundação Dom Cabral e exerceu as funções de gerente da Souza Cruz, gerente regional e diretor de vendas da Pepsico (divisão Elma Chips), gerente nacional e diretor comercial do Grupo São Braz, e diretor comercial de agronegócios e telecomunicações do Grupo Algar.

Dom Cabral 

Eleita a nona melhor escola de negócios do mundo e a melhor da América Latina pelo Financial Times, a Fundação Dom Cabral desenvolve há mais de 40 anos executivos, gestores públicos, empresários e organizações de diversos segmentos em vários países. Conectando teoria e prática, a FDC oferece soluções educacionais nacionais e internacionais, sustentadas por alianças estratégicas e acordos de cooperação com renomadas instituições na Europa, nos Estados Unidos, na China, na Índia, na Rússia e na América Latina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *