É aglomeração o que todo mundo quer, né @? Mas ainda não está podendo, e é essa a mensagem que o funkeiro mais divertido do Brasil, MC Kekel, passa em seu novo single “Aglomeração“, que chegou às plataformas de música nesta sexta-feira (09) – ouça aqui. O lançamento, que sai pela Som Livre e KondZilla Records, conta ainda com um clipe animado, no qual Kekel aparece às voltas com diversos interesses amorosos e conclui que o melhor mesmo é respeitar o distanciamento social para evitar confusão – assista aqui 

A produção audiovisual explora a veia cômica e super aguçada do artista, apresentando seu personagem mais conhecido: aquele cara que foge de compromisso sério e é cheio de “contatinhos”. No vídeo, o funkeiro marca de fazer uma festa clandestina e aproveita para convidar uma de suas ficantes. O que ele não esperava é que ela fosse levar duas amigas, com quem ele também se relacionava em segredo e que obviamente não sabiam uma da outra. Ou seja, confusão na certa e ainda mais um motivo para pensar duas vezes antes de cogitar aglomerar. 

Com uma temática bastante realista, a música apresenta uma mensagem positiva de forma bem-humorada, desestimulando eventos clandestinos e reunião de muitas pessoas no cenário atual. A produção, aliás, foi realizada com cuidados redobrados e especial atenção às normas de higienização. A faixa, uma parceria com a Hitmaker, traz em sua sonoridade um funk-pop com timbres atuais e dançantes, daqueles de não deixar ninguém parado. 

“Estou muito ansioso e animado. Essa é uma das músicas mais esperadas deste ano e estou bastante confiante no trabalho que fizemos”, diz o artista, que teve um 2020 repleto de hits. 

Antes de “Aglomeração”, outros singles lançados pelo artista foram ” Amor de Verdade 2″e ” Não Era Pra Gostar”, cujos clipes já apresentam mais de 3,7 e 5,2 milhões de visualizações no YouTube, respectivamente. 

“Aglomeração” – MC Kekel
Lançamento Som Livre/KondZilla Records – 09 de outubro/2020

Letra:

Nessa quarentena eu queria, mas não posso 
Tá agarradinho com a louca que eu gosto 
Pensei em chamar, mas é melhor não 
Se eu chamar meus contatinho, vira aglomeração 
Vai dar confusão, vai dar confusão, vai dar confusão, vai dar confusão 
Se eu chamar meus contatinhos, vira aglomeração 
Vai dar confusão, vai dar confusão, vai dar confusão, vai dar confusão 
Não cabe geral na cama, mas cabe no coração 
Doron, dorom, dorom, dorom 
Kekel e Hitmaker, esquece 
Já que não vai dar, tem fila de espera no meu facetime 
Pra te ver jogar, mas eu preferia a putaria offline 
Nessa quarentena eu queria, mas não posso 
Tá agarradinho com a louca que eu gosto 
Pensei em chamar, mas é melhor não 
Se eu chamar meus contatinho, vira aglomeração 
Vai dar confusão, vai dar confusão, vai dar confusão, vai dar confusão 
Se eu chamar meus contatinhos, vira aglomeração 

Sobre a Som Livre
Sempre em busca de novos talentos e de portas abertas para diferentes vertentes musicais, há mais de 50 anos a Som Livre é responsável por apostar e lançar diversos nomes de sucesso no mercado. Hoje a Som Livre é muito mais do que uma gravadora, é a maior empresa nacional produtora de conteúdo e marketing musical. 

Seja qual for a plataforma de lançamento, a Som Livre se faz presente como a trilha sonora de momentos especiais, refletindo assim as preferências e hábitos do público brasileiro. Durante sua história, a Som Livre lançou nomes importantes da música no país, como Djavan, Barão Vermelho, Cazuza e atualmente possui os maiores nomes da música nacional. Na linha de shows, a empresa é detentora de grandes festivais e eventos, como Festeja, Samba Demais, Destino Música e Arena Pop, além de assinar projetos para outras marcas, como o Glacial Fest, da Heineken. 

No time de sertanejo e forró da Som Livre estão nomes como Marília Mendonça, Jorge & Mateus, Maiara & Maraisa, Wesley Safadão, Michel Teló, Zé Neto & Cristiano, César Menotti & Fabiano, Mano Walter, Xand Avião e Raí Saia Rodada. O samba e o pagode são estrelados por nomes como Thiaguinho, Alexandre Pires, Raça Negra, Tiee e o grupo Menos É Mais. A MPB é representada por Ney Matogrosso, Novos Baianos, Erasmo Carlos, João Bosco e no selo slap estão artistas como Maria Gadú, Marcelo Jeneci, Céu e Scalene. O pop e o funk trazem os fenômenos Lexa, Kevin O Chris, MC Kekel e a dupla Carol & Vitoria, enquanto o cast de rap carrega artistas como Edi Rock, Haikaiss e Filipe Ret. O selo austro de música eletrônica é formado por Bhaskar, Mojjo, Ralk e Samhara. E Ton Carfi, Davi Sacer e Clovis Pinho representam o gospel da Som Livre. 

Som Livre, há mais de 50 anos a trilha sonora da sua vida. 

Acompanhe a Som Livre nas redes: 
somlivre.com 
instagram.com/somlivre 
facebook.com/somlivre 
twitter.com/somlivre 
youtube.com/somlivre 
linkedin.com/somlivre 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *