Atleta de triathlon dá dicas para quem quer se preparar para corrida de rua

A modalidade está conquistando cada vez mais seguidores

 

Com a proximidade do final do ano é comum a oferta de corridas de rua, seja para profissionais ou para amadores. A modalidade vem conquistando cada vez mais adeptos. Segundo o Ministério do Esporte, cerca de cinco milhões de pessoas praticam regularmente a corrida de rua. Independe do perfil do corredor, algumas práticas são necessárias para preparar o corpo para o desafio. Marcelo Lobo, professor da Cia Athletica e competidor de triathlon separou algumas dicas para quem deseja participar de uma dessas competições.

O mais importante em qualquer preparação é saber que cada corpo vai responder a corrida de uma forma diferente. Mas existem algumas técnicas que podem ajudar na prevenção de lesões. “Na hora da passada, por exemplo, o ideal é pisar com o pé abaixo da linha do corpo, não projetar uma passada à frente. Essa passada à frente faz com que o corredor dê um “freio” no movimento da corrida e sobrecarrega as articulações do tornozelo, joelho e quadril”, explica Marcelo.

A preparação começa muito tempo antes do dia da corrida, no entanto, poucas horas antes da competição é importante ficar atento a alguns detalhes. Para que ocorra tudo certo durante a prova, o indicado é que o corredor coma aproximadamente duas horas antes da corrida para que faça uma boa digestão. Se a refeição for com carboidratos leves, como batata doce, aveia ou alguma massa integral, esse tempo pode diminuir para uma hora ou 90 minutos.

Um ponto muito importante para evitar lesões é fazer um aquecimento de aproximadamente 10 minutos antes de começar a correr. Esse tempo pode ser usado em uma caminhada ou trote leve para   que o fluxo sanguíneo cresça gradativamente pelo corpo. A mesma coisa acontece após a atividade, o ideal é não parar brutalmente já que isso pode causar tonturas, náuseas e até desmaio.

Para quem não consegue treinar sempre ao ar livre não tem problema, o importante é não ficar parado. “A corrida na rua ou na esteira pode auxiliar uma a outra. Eu recomendo a primeira para que o participante se adapte as condições da rua já que nela é necessário fazer mais força para deslocar o corpo por ter que se projetar para cima e para frente. Já na esteira a projeção é para cima, já que a maquina se movimenta embaixo. A esteira é uma boa ideia para quem está fazendo aquecimento e quer correr em um ritmo mais contínuo”, conclui o professor da Cia.

You May Also Like