No dia 19 de maio, o Sana – Casa Balea (antiga Casa do Cachorro Preto), em Olinda, sedia um grande encontro musical para celebrar a vida e vibrar pela cura do músico pernambucano, João de Alencar Rêgo, o João Afojubá, como é conhecido no meio, e que se encontra em tratamento contra um câncer desde janeiro passado. Vários artistas reunidos, vários ritmos em um só som: “O Som da Cura”, é o nome da festa que contará com apresentações de coco, afoxé, percussão, música instrumental, forró e muita vibração positiva. A concentração terá início às 15h30 nos Quatro Cantos de Olinda, com o som do Maracatu Afojubá com Rafael Alencar (que é irmão de João) no comando do apito. De lá, o arrastão segue até o local da festa. O Sana – Casa Balea fica à rua 13 de maio, 99, no Sítio Histórico. Os ingressos estão no segundo lote no valor de R$ 30 e podem ser adquiridos através da plataforma online https://www.sympla.com.br/o-som-da-cura__504794, no Baracho Bar (@baracho_obar), no Naylê Comedoria e no Sana, todos em Olinda, além da própria bilheteria no dia do evento.

Entre as atrações já confirmadas para se apresentar na festa estão: Afoxé Omô Nilê Ogunjá, Coco de Toré Pandeiro do Mestre (com a participação especial das mulheres das Casas Populares da Br 232, de Guga Coco do Manoel e de Nino Souza do Bojo da Macaíba), Maciel Salú, Banda Mandala e o convidado Samuel Negão, Gilú Amaral com o show Percursos e participação de Cláudio Rabeca, além do DJ Pós com a sua Melodia de Budega. “O Som da Cura” é organizado por amigos de João e conta com apoio da Já Deu Certo Produções, de Tatá Tenório, Gi Produções, Nativa e Sana – Casa Balea.

Além da festa, os amigos também organizaram uma vaquinha virtual no https://www.vakinha.com.br/joao-afojuba-precisa-de-sua-ajuda. Toda a renda revertida em ambos servirá para custear o tratamento de radioterapia e quimioterapia do percussionista que desde janeiro descobriu a doença. Além do tratamento para curar o câncer, o dinheiro servirá para manter vivo os projetos sociais que ele desenvolve com crianças aqui no Estado e na Europa, inclusive portadoras de necessidades especiais.  

 re, Di Melo, Serena Assumpção, Cila do Coco, Mestre Ferrugem e Gilberto Gil. Sua trajetória une pessoas de diversos origens como Portugal, Espanha, Inglaterra, Grécia, Bulgária, Tunísia, Itália, Espanha, Colômbia, Alemanha, Brasil, Bélgica, Cuba e Hungria, Roménia, Guiné-Bissau, Irã, Russia propiciando um intercâmbio cultural e musical muito rico que forma uma grande família.

A REALIDADE DE JOÃO AFOJUBÁ E SUAS CONQUISTAS

Como saber o dia de amanhã? Um dia se está bem, saudável, produtivo e erguendo a mão a todas e todos. No dia seguinte tudo muda e você tem que parar, pensar e se cuidar… para se reerguer ainda mais forte! Assim é que está acontecendo com o  amigo e mestre, João de Alencar Rego, nascido em 1985, na comunidade de Santo Amaro, no Recife. Criado por sua mãe-avó, Maria e pai de Benin.

Com uma longa experiência na pesquisa de ritmos e manifestações musicais afro-brasileiras até pouco tempo não conhecidas na Europa, o músico pernambucano construiu em Berlim uma série de projetos coletivos influenciados pela música popular brasileira e africana, a exemplo do Maracatu Afojubá, atualmente com mais de 40 integrantes das mais diversas nacionalidades. Além dele, João dá aulas para crianças, incluindo os pequenos com necessidades especiais, nas escolas Waldorf Anne Rose Schule e Johannes Schule Berlin.

Desde a criação do seu grupo de maracatu em Recife, realiza workshops de instrumentos com material reciclado para as crianças. Com uma filosofia baseada na inclusão, tem como prioridade facilitar a todos, de todas as idades e origens, o acesso à música – muitas vezes abrindo mão do merecido retorno financeiro para tal.

Neste momento, todos esses projetos correm o risco de serem interrompidos ou finalizados devido ao grave problema de saúde do artista. João foi diagnosticado com uma doença que exige um tratamento difícil e longo, que provavelmente acarretará na sua ausência total ou parcial nestes projetos. “É para garantir que essa experiência musical continue tocando os corações dessa comunidade tão numerosa e diversa em Berlim e em todo o mundo que os amigos de João estão focados na campanha que visa arrecadar fundos para os custos de seu tratamento e o financiamento da estrutura que permite que seus projetos continuem acontecendo, mesmo na sua ausência, durante um ano, que é a duração prevista para o tratamento”, afirma a produtora e amiga do músico, Tatá Tenório, uma das que está à frente da campanha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *