16ª Semana Hermilo encerra com Teatro de Mamulengos e plateia lotada

Ontem, no quarto e último dia de atividades para celebrar um dos mais autênticos e profícuos nomes da literatura e do teatro nordestinos, programação promovida pela Prefeitura do Recife contou com a apresentação do Mamulengos Teatro Riso, grupo fundado em 1982, em Glória do Goitá

  

Um público heterogênio, com gente de várias idades, acompanhou a última noite de atividades da 16ª Semana Hermilo, neste domingo (22), no Teatro Hermilo Borba Filho, Bairro do Recife. Oficina de mamulengos, leitura dramática, peça teatral e exposição fizeram parte da programação, montada pela Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundação de Cultura Cidade do Recife, em homenagem ao escritor, crítico literário, jornalista, dramaturgo, diretor, teatrólogo e tradutor Hermilo Borba Filho, ao longo de quatro dias de evento.

A Semana Hermilo, iniciada na última quinta-feira, foi uma realização do Centro de Formação e Pesquisa em Artes Cênicas Apolo-Hermilo, em parceria com a Secretaria de Cultura de Pernambuco e a Companhia Editora de Pernambuco (Cepe). 

No primeiro momento da noite de ontem, o ator Flávio Renovatto fez a leitura dramática da crônica Palmares e o Coração, de Hermilo Borba Filho, publicada no Diario de Pernambuco em 1974. Hermilo, nascido em Palmares, diz no texto que a cidade é, em sua obra, mito e também realidade.

Em seguida, o mestre Zé Lopes e a sua turma de alunos mostraram o resultado do trabalho da oficina realizada durante os três primeiros dias do evento. Cada aluno teve a oportunidade de apresentar o seu personagem à plateia, num momento leve e descontraído. Fechando a noite, Zé Lopes e o Mamulengos Teatro Riso, grupo fundado em 1982 em Glória do Goitá, fez a brincadeira com o espetáculo a Festa de São Sacode na Fazenda do Coronel Pancaru.

A médica Lucely Ayres, 67 anos, ficou encantada. “O teatro de mamulengos foi fantástico. Foi uma festa bonita, que remeteu à minha infância”, disse Lucely, que também apreciou a leitura de Flávio Renovatto. “Foi uma aula de história, ainda tenho muito a aprender sobre Hermilo.

A irmã dela, a funcionária pública Leci Ayres, 64 anos, elogiou a iniciativa da realização da Semana Hermilo. “Alguns jovens vieram com grupos de escola. Espero que eles levem esse conhecimento para a vida pessoal e profissional.”

Uma dessas jovens foi Juliana Serafim, 21 anos, que mora em São Paulo e está de férias no Recife. “Achei muito interessante, aprendi ainda mais sobre a cultura pernambucana. Vim com a minha irmã e a turma dela do Colégio Militar”, explicou.

No público, também havia gente que nunca tinha estado no Teatro Hermilo Borba Filho, como a estudante Beatriz da Silva, 16 anos. “Esta é a minha primeira vez na Semana Hermilo, achei tudo muito bonito e organizado no teatro. Vim com as pessoas do colégio e agora tenho mais curiosidade e vontade de conhecer melhor a obra do autor”, disse.

Ao final, a Secretária de Cultura do Recife Leda Alves, brincou com uma das bonecas do Mamulengos Teatro Riso e também agradeceu a presença do público. “Os mamulengos, assim como os fandangos, o bumba-meu-boi e toda a cultura popular, têm tudo a ver com a obra de Hermilo Borba Filho”.